A Menina e o Urso

 

Conheci essa história no curso de Pedagogia Waldorf, foi o teatro de mesa escolhido pela turma de formandas jardineiras (de jardim da infância, e não de flores, embora seja bem semelhante rsrs), para apresentar na nossa conclusão de curso. Pode ser que a minha memória tenha alterado alguns trechos, minha busca por rimas certamente alterou e não me lembro do autor, mas lembro da voz da Camila Ferres narrando e dizendo: “-Eu estou te vendo, eu estou te vigiando”, com tanta clareza na minha memória, que ao contá-la busco sempre o teatro de mesa e a entonação daquela inigualável apresentação…

Nos teatros de mesa Waldorf os bonecos são feitos de feltragem com lâ de carneiro e corantes naturais, como ainda não os tenho uso muitos tecidos com diferentes amarrações, tocos de madeira, pedras e galhos, e assim vou construindo os personagens e cenários…

…………………………………………………………………………………………….

A MENINA E O URSO

Era uma vez uma menina, bonita de laço de fita, que morava com a sua avó e o seu avô em uma casinha de madeira cor de alcatrão que seu avô construíra com as próprias mãos. Ao lado desta casinha tinha um grande lago, fundo e largo, sobre o qual seu avô fizera uma bela ponte de madeira. Depois da ponte havia uma trilha que passava pelo bosque e chegava na floresta das cerejeiras.

Todos os dias de manhãzinha a menina saía com a sua avó, atravessava a ponte sobre o lago, cruzava o bosque pela trilha e entrava na floresta, onde flores e frutos a menina colhia. Muitos ela guardava, alguns ela comia.

Certa manhã sua avó chamou-a e disse:

– Minha querida, hoje estou com muito serviço para fazer na cozinha e não poderei levá-la para nossa caminhada de todo dia. Quero que fique brincando no quintal e nem pense em ir sozinha. Lembre que há raposas no bosque que espreitam de suas cavernas e há ainda muitos perigos na floresta.

Dito isto a avó se ocupou de seus afazeres enquanto a menina brincava no quintalsozinha, bem boazinha.

Mas logo a vontade de colher flores e frutos cresceu tanto dentro da menina que ela resolveu dar só um pulinho na floresta e colher só uma frutinha e uma florzinha e voltar rapidinho sem que ninguém percebesse. A menina atravessou a ponte sobre o lago, passou o bosque pela trilha e chegou na floresta, onde colheu frutas silvestres e uma linda florzinha. Mas quando resolveu que era tempo de voltar percebeu que estava perdida. Quanto mais ela andava e o caminho de volta procurava, mais perdida ficava. Mesmo assim a menina não desistiu e andou o dia inteiro, procurando sem parar. Já era o fim do dia quando a menina encontrou uma caverna e resolveu entrar nela para a noite passar, afinal se el não havia encontrado o caminho de dia, de noite é que não ia encontrar. Iria dormir na caverna, de manhã voltava a procurar.

Mas quando a menina entrou na caverna, parecia um chiqueiro, tudo sujo e bagunçada. A menina limpou e arrumou tudo primeiro e ainda preparou um jantar com um pouco de comida que havia encontrado. Comeu um pouquinho e depois, cansada, pegou no sono e dormiu em um cantinho que ajeitou com uma relva macia, não era bem uma cama, mas servia.

Acordou quando raiava o dia e deu de cara com um grande urso que a olhava com curiosidade. O urso logo lhe disse:

– Por ter cuidado da minha caverna, limpado e arrumado e uma comida tão gostosater preparado, não vou te comer, você vai viver e será a minha companhia. Ficará aqui, morando comigo, cuidando da minha caverna e preparando as minhas refeições todos os dias.

– Eu adoraria – respondeu a menina – mas meu avô e a minha vovozinha devem estar muito preocupados, procurando por mim, e por isso eu devo voltar.

-Nananinanão! – disse o ursão – você vai ficar aqui, e nem adianta fugir, pois eu vou te encontrar.

Assim a menina ficou. Quando o urso foi caçar a menina tentou fugir, mas logo percebeu que não sabia o caminho e, mesmo que soubesse, deixaria pegadas para o urso seguir. Assim voltou pra caverna e resolveu esperar. Quando o urso saiu pra caçar de novo a menina preparou um delicioso bolo, com cobertura e tudo. Quando o urso voltou da caça foi logo querendo experimentar o bolo que parecia delicioso, mas a menina entrou na frente dizendo:

– Nananinanão! Este bolo é para consolar o meu vovozinho e a minha avozinha que devem estar muito preocupados por eu não ter voltado. Leve este bolo direto para a minha casinha. Saia da floresta, atravesse o bosque pela trilha e cruze a ponte sobre o rio. Meu vovô e a minha vovózinha moram naquela casinha de madeira cor de alcatrão onde mora o meu coração. Faça isso direitinho que quando você voltar eu lhe farei um bolo igualzinho para você comer todinho. Mas não tente me enganar eu vou ficar no alto da árvore te viagiando. Nem pense em comer um pedacinho do bolo senão nunca mais cozinho pra você de novo.

O urso concordou, e foi se preparar para levar o bolo, enquanto isso a menina escondeu-se dentro de uma grande cesta e colocou o bolo por cima. Quando o urso veio pegar o bolo e não encontrou a menina, deduziu que ela já estava na árvore e resolveu aproveitar para provar só um pedacinho do bolo, que parecia estar tão delicioso.

Mas a menina que espiava por um buraquinho da cesta, vendo o que o urso estava fazendo foi logo dizendo:

– Eu estou te vendo. Eu estou te vigiando, leve este bolo direto para a minha vovozinha.

O urso, acreditando que a menina falava do alto da árvore, tratou logo de obedecer e pôs a cesta nas costas. Mas quando estava no meio da floresta, sentindo a cesta muito pesada resolveu parar para dar uma descansada. Tirou a cesta das costas e resolveu provar só um pedacinho do bolo que parecia tão delicioso. Mas a menina que via tudo pelo buraquinho foi logo dizendo:

– Eu estou te vendo. Eu estou te vigiando. Leve este bolo direto para a minha vovozinha.

O urso achou que a menina tinha uma boa visão, para vê-lo de tão longe. Pôs a cesta nas costas e continuou seu caminho. Terminou de atravessar a trilha da floresta e chegou no caminho do bosque, onde resolveu novamente parar para descansar. Achando que agora a menina estava tão longe que não podia mais vê-lo o urso tentou novamente provar o bolo, mas a menina escondida na cesta pelo buraquinho continuava olhando e novamente foi dizendo:

– Eu estou te vendo. Eu estou te vigiando. Leve este bolo direto para a minha vovozinha.

O urso pensou que a menina estava em uma árvore realmente alta. Pôs novamente a cesta nas costas e seguiu o seu caminho. Terminou de atravessar o bosque e chegou na ponte sobre o rio, onde novamente resolveu parar e descansar pois a cesta estava muito pesada. Pensando que agora a menina não mais o estava enxergando, resolveu provar o bolo, que parecia delicioso. Mas a menina que tudo via pelo buraquinho da cesta foi logo dizendo:

– Eu estou te vendo, eu estou te vigiando. Entregue este bolo direto para a minha vovozinha.

O urso achou que a menina estava em uma árvore realmente muito alta e tinha uma visão melhor que a de um falcão. Pôs novamente a cesta nas costas e terminou de atravessar a ponte sobre o rio, chegando ao quintal da casa dos avós e da menina. Ao cruzar a cerca do quintal o urso percebeu que era sua única chance de provar o bolo e pôs a cesta no chão, mas a menina, que espiava pelo buraquinho da cesta, foi logo dizendo:

– Eu estou te vendo, eu estou te vigiando. Leve este bolo direto para a minha vovozinha.

Neste momento o avô da menina ouviu a voz da netinha no quintal e saiu pra ver o que é que estava acontecendo. Viu aquele urso enorme e tratou logo de pegar a espingarda e dar três tiros para cima.

O urso tomou o maior susto da sua vida, largou a cesta ali mesmo e saiu correndo.  Atravessou a cerca do quintal, atravessou a ponte sobre o lago, cruzou a trilha do bosque e entrou correndo na floresta, só parou quando chegou na caverna e não entendeu nada quando não encontrou nem o bolo prometido, nem a menina e nem nenhuma pegada.

E a menina saiu da cesta e foi correndo abraçar seus avós, que estavam muitíssimos preocupados com o seu desaparecimento. A menina prometeu nunca mais desobedece-los e nem nunca mais ir passear na floresta sozinha. E juntos, o avô, a avó e a menina, ainda comeram aquele lindo bolo que estava mesmo delicioso…

FIM

………………………………………………..

Para ver outras histórias desse meu Jardim basta clicar no menu (esses risquinhos no alto da página, canto direito).

Se quiser levar as histórias desse jardim em uma apresentação repleta de fantasia e brincadeiras para encantar o seu evento, ou os seus alunos entre em contato:                            Telefone e whats 8821-0113 ou 88664004            Taina Andere                                                Email: meujardimdehistorias@gmail.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s