A lenda dos ovinhos coloridos

Essa história foi criada ontem, durante a páscoa, para explicar para o Havi, filho de uma grande amiga, porque nossas crianças ganhavam do coelhinho ovinhos recheados e coloridos ao invés dos ovos de chocolate.

Ainda não foi contada em nenhuma escola, vai ter que esperar pelo próximo ano já que surgiu depois da minha “época de páscoa”, mas quero deixá-la aqui registrada para que não se perca na minha muitas vezes confusa estrada…

…………………………………………………………………………………………………………………

A LENDA DOS OVINHOS COLORIDOS

Há muito, muito tempo atrás, havia um menino que carregava o Sol no coração e tinha, todos os dias, um sorriso de domingo. Nesse tempo a Páscoa ainda comemorava a fuga dos hebreus da escravidão do Egito, pois Cristo ainda não havia nem morrido, era apenas um menino.

E esse menino queria muito presentear na páscoa todas as crianças da vila, para isso foi dar uma volta na floresta, pedir ajuda aos animais seus amigos pois não tinha ideia do que dar… Já seus amigos tinham ideias mil.

-Dê penas coloridas, elas são tão lindas! – dizia o passarinho.

-Que penas que nada, as crianças vão gostar é das pedras arredondadas. – disse o peixe-dourado que vivia no lago.

-Pois eu acredito que elas vão preferir o mel, tão gostoso, doce e saboroso. – disse o urso bocejando de sono.

-Pois eu aposto que elas vão gostar mais do amendoim, que é salgadinho e a maior delícia do mundo pra mim. – disse o elefante Falante.

-Eu tenho uma ideia boa, podemos dar para as crianças deliciosas cenouras… – disse o coelho Linho.

-Vocês não sabem de nada. A coisa mais linda do mundo são os ovos de pata, e é isso que você deveria dar para a criançada. – disse o pato Patada.

E assim os animais já começaram a brigar, cada um achava que a sua ideia é que deveria ganhar, foi aí que a dona coruja que passava por lá sugeriu que eles fizessem uma grande disputa e que o vencedor escolheria o presente que as crianças iriam ganhar. Todos adoraram a ideia, mas logo recomeçaram a brigar:

-Deve ser uma disputa de força, afinal o mais forte é o rei da floresta.- dizia o Urso.

-Que nada, o mais importante é a velocidade que nos leva pelos campos e pelas cidades. dizia o Coelho.

-Pois eu acho que a disputa deve ser de natação.- disse o peixe com convicção.

-Nem força, nem velocidade e nem natação. A disputa deve ser de peso, e o peso mais pesado será o campeão.- disse o elefante Falante.

-Poi pra mim uma disputa de voo seria muito mais interessante.- disse o peixinho do lago querendo pender a disputa para o seu lado.

E logo já estavam todos brigando na maior confusão.

-Ora, ora.- disse a Coruja- Tenho um jeito ótimo pra resolver essa disputa: vamos fazer uma olimpíada com várias modalidades para testar diferentes habilidades.

Todos adoraram a ideia e logo a grande competição foi preparada.

A primeira prova foi uma disputa de voo, o passarinho ganhou e o pato chegou em segundo, mas ninguém mais conseguiu sair da largada, pois urso, elefante, peixe e coelho não tem nem asa.

Já a segunda disputa foi a de natação: o peixe venceu de longe, o pato chegou em segundo lugar, o urso chegou em terceiro pois nadava bem devagar, já o elefante e o coelho, não conseguiram nem largar.

Mas a terceira prova foi corrida de velocidade, dessa vez o coelho chegou em primeiro, seguido do urso, em terceiro chegou o passarinho e em quarto o pato, por último veio o elefante, só o peixe-dourado que não pôde sair do lago para a prova disputar.

A quarta prova foi disputa de peso, ficou o elefante em primeiro, seguido do urso, do coelho, do pato e por último peixe e passarinho empataram.

E a última prova foi a de força, quem ganhou foi o urso, com o elefante em segundo, depois veio o coelho e o pato e, de novo, por último o peixe e o pássaro empataram.

E aí recomeçou a confusão, cada um havia ganhado uma, quem seria o campeão? Foi a coruja quem decidiu:

-Cada um de vocês ganhou uma das provas, menos o pato, mas é ele mesmo o campeão, pois foi o único que em todas as provas conseguiu alguma pontuação. O único com habilidade para participar de todas as modalidades. Por isso eu acredito que o ovo de pata deve ser o presente escolhido.

O pato ficou felissíssimo, mas esse menino gostava de a todos agradar, por isso teve uma grande ideia:

-Já sei! Podemos todos os presentes misturar. Com os amendoins do elefante adoçados pelo mel do urso podemos os ovinhos rechear, depois usamos uma pedra bem redonda para o ovinho fechar e muitas penas coloridas para enfeitar.

-Mas e eu?- quis saber o coelho- O ovo de pata é muito pequeno, não cabe uma cenoura lá dentro…

-Ah, você que é o mais rápido de todos e que pode se esconder em túneis subterrâneos vai os ovinhos entregar.

Todos adoraram a ideia e já começaram a trabalhar e quando chegou a páscoa todas as crianças do vilarejo ganharam um ovinho do coelho. Esse menino cresceu, morreu e ressuscitou, pois esse menino que carregava o sol no coração era Jesus, nosso Senhor. E por isso até hoje, no aniversário da ressurreição de Cristo, animais de todo o mundo preparam ovos recheados e coloridos para serem entregues pelos coelhinhos. E hoje em dia, em alguns lugares esses ovinhos coloridos foram substituídos por ovos de chocolate…

FIM

………………………………………………………………………………….

Para ver mais contos desse jardim clique no menu  (são esses risquinhos mesmo no alto da página, canto direito).

Entre em contato pelo telefone ou whats: 98821-0113 (Taina Andere) ou pelo email meujardimdehistorias@gmail.com

Encante suas festas com os contos e as brincadeiras do Jardim de Histórias, leve nossas contações de história para a sua escola!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s