A Turma do Urso Boapinta

Era uma escola modesta no meio da floresta.

A professora era uma sábia coruja, que há muitos anos vinha lecionando naquele mesmo lugar, mas a turma daquele ano estava dando o que falar. E ao que parecia, era tudo por conta do Urso Boapinta.

Boapinta era um urso muito esperto, mas não conseguia parar quieto, estava sempre fazendo piadas mesmo em meio as aulas. A Dona Coruja acabou enfezada. E assim uma bola de neve começou a se formar. Quanto mais nervosa Dona Coruja ficava mais o Urso se empolgava com as piadas, mais a turma dava risada, mais a Dona Coruja se irritava. A bola de neve só aumentava, as notas começaram a cair e se continuasse desse jeito, logo, logo a professora ia explodir. A pobre professora já estava desesperada.

E o pior é que o Urso ainda tava se achando o tal, o maioral que nunca vai se dar mal… só não percebia que estava chamando atenção do jeito errado, pois assim seus talentos estavam sendo desperdiçados.

Mas eis que chegou o campeonato escolar. Todo mundo queria ganhar, todas as turmas iam participar. A turma do Urso era a favorita e tinha muitas chances de ganhar, pois tinha a Garça que era muito rápida, o Macaco que era o rei da pontaria e o Urso, forte como ele não havia.

Fizeram um grito de guerra bem maneiro e chegaram no campeonato prontos para ganhar em primeiro.

A primeira disputa era corrida, a Garça era de longe a favorita, da turma do Urso foi a escolhida. Mas bem na hora da partida o Urso fez uma piada com o pescoço da Girafa, a Garça achou muita graça e caiu na gargalhada, acabou perdendo a largada, chegou em último lugar, ninguém podia acreditar.

A segunda prova era de pontaria, esta o Macaco ia ganhar, ninguém podia duvidar. E o Urso ainda resolveu que não faria piada nenhuma até a prova terminar. Mas como a turma não sabia parar quieta, começaram a cochichar. Acontece que o Macaco é louco de curioso, queria por que queria escutar, bem quando chegou a sua vez de lançar ele não conseguiu mais se segurar, queria tanto escutar que lançou a pedra de qualquer jeito e acertou o nariz do Senhor Juiz, a turma do Urso não foi expulsa do campeonato por um triz.

Mas a última prova era de força e essa o Urso ia ganhar. Vocês sabem qual disputa seria?

Na verdade ninguém sabia. Veio o Juiz para anunciar:

– Da última prova todos irão participar, e a turma que ganhar será a campeã. Preparem-se galera, é hora do Cabo de Guerra.

A turma do Urso dava pulos de alegria, com o Urso na sua equipe ninguém os venceria.

Mas na hora da disputa a outra turma estava bem unida, puxavam o cabo com um ritmo marcado. Um, dois, um, dois, um, dois. Todos juntos trocavam o braço e o cabo ia sendo puxado. Eis que contra a força da união a força do Urso não serviu de nada. Que enrascada. A turma do Urso saiu derrotada.

Mas aprenderam a lição. Nos dias que se seguiram o Urso não recebeu mais toda aquela atenção. Seus amigos sabiam que ele era culpado e passaram a ignorá-lo. Até o dia que ele entendeu o recado. Parou de fazer piada na hora errada, começou a estudar e a prestar atenção. A professora Coruja foi ficando mais calma e as aulas passaram a ser bem mais divertidas, até as notas melhoraram. E na hora do intervalo era em volta do urso que a turma se reunia  para rir das suas piadas divertidas.

…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………….

Essa história foi feita sobre encomenda para uma turminha que está deixando a professora com os cabelos em pé… vamos ver se vai dar resultado. Espero que sim.