Madalena e seu problema

Esta história eu criei para as crianças dos 4ºs e 5ºs anos da escola onde trabalho. O tema encomendado é alimentação saudável, mas na minha pesquisa tive uma enorme dificuldade de achar uma história de qualidade sobre esse tema. Parecem todas bem óbvias, enfim, dois dias inteiros de pesquisa e não achei nada, nadinha. Resolvi contar a Sopa de Pedra, mas ainda precisava de mais uma e queria uma que abordasse o tema mais diretamente. Foi a hora de criar. Escolhi uma história com bruxa porque vou contá-la na escola amanhã, véspera de Dia das Bruxas…. espero que gostem.

MADALENA E SEU PROBLEMA

Era uma menina muito bonita, chamada Madalena, mas que tinha um grande problema, dava trabalho para comer desde pequena. Na hora do almoço e do jantar sua mãe bem que dizia:

– Come menina, se não a Bruxa má vai te pegar!

E Madalena respondia:

– Oba ela vai me levar pra conhecer o Harry Poter?

Mas depois do almoço mesmo sem ter comido nada ia para a frente da TV e começava a sessão porcariada. E haja cheetos, bombom achocolatado, bala chiclet, chocolate em barra e bolacha recheada. Se estivesse calor tomava sorvete de baldada, se não bebia leite condensado direto da lata.

E frutas, legumes e cereais… jamais. A menina só comia porcaria, de comida saudável nem o nome ela sabia.

– Que comida é essa? (mostra uma manga)

– É uma maçã. Eca! Tem gosto de meleca!

– Isso é uma manga Madalena. E isso? (mostra uma pêra)

– Essa é a maçã que é uma eca e tem gosto de meleca?

– Não Madalena, isso é uma pêra. E isso, sabe o que é? (mostra uma abobrinha)

– Nunca vi, deve ter gosto de chulé!

– O que tem gosto de chulé é cheetos Madalena, isso é abobrinha e bem cozidinha é uma delícia. É menina, é melhor você se cuidar, porque deste jeito a Bruxa Má vai mesmo vir te pegar…

Mas Madalena nem ligava. E vocês sabem o que aconteceu? Vieram as féria e Madalena foi passar um mês na casa da tia que morava no interior. Chegando lá, que horror! Não tinha televisão e nem computador. E o que era pior, para comer só do bom e do melhor. Pelo menos é o que a tia dizia:

-Na minha casa ninguém come porcaria.

Não tinha salgadinho, nem batom, nem biz, nem sorvete de chocolate, nem bombom… E quando a menina pediu um doce de sobremesa, e olha que ela até pediu por favor, a tia me veio com um monte de potes com tudo quanto é tipo de geléia de frutas.

A menina quase teve um treco, foi pro celeiro fervendo de raiva, pegou seu celular e já ia ligar para casa quando viu seu reflexo na telinha do microfone.

Alguma coisa estava mudando, a menina estava se transformando. Seus dentes foram caindo até ficar um só, amarelado e crescido. Seu nariz foi crescendo até quase encostar no queixo. Seu cabelo virou um emaranhado só, todo seco e cheio de nós.

Madalena ficou horrorosa, assustadora, tenebrosa.

Foi aí que apareceu um baita gigante.

-Yes!!! – comemorou Madalena até se esquecendo de que estava horrenda – Você vai me levar para Hogwarts?

– Que? Eu vim levar você sim, mas para um lugar bem mais divertido, acredite em mim. Nós vamos para a terra do Terror sem Fim.

E sem que Madalena pudesse nem gritar o gigante pegou-a pela cintura e levou-a para lá. Mas não era um lugar bonito como o do filme do Harry Poter. Era uma floresta escura e fedida, em um castelo macabro caindo aos pedaços.

Só quando entrou no castelo é que Madalena se deu conta do tamanho do perigo, tinham monstros horrendos, bruxas e magos, lobisomens e vampiros, pra cada canto que ela olhava dava de cara com um ser mais terrível. Em uma sala bem grande sentavam-se gigantes, ogros e até ciclopes que são os gigantes caolhos.

O gigante largou Madalena em uma sala escura e abafada, cheia de bruxinhos e bruxinhas olhando com cara assustada. Logo entrou a Bruxa Má e começou a falar:

-Hoje é o primeiro dia de vocês na escola de magia. Se vocês estão aqui é porque fizeram muita birra, foram mal educadas e só comeram porcarias. Meus parabéns, tenho muito orgulho de vocês, conseguiram deixar para traz o caminho do bem. Agora começa a azaração e nós vamos nos divertir de montão, fazendo maldades e atrocidades. E nossa primeira lição vai ser amarrar bombinha no rabo da gata da vizinha.

– Mas isso é terrível! – disse Madalena horrorizada.

E a Bruxa má respondeu:

-Obrigada.

-Os gatinhos são nossos amigos e a gata da vizinha não nos fez nada!

-Ora, ora. Onde já se viu, uma bruxinha que não quer ser malvada. Pois se não fizer uma grande maldade, na torre ficará trancada.

– Mas eu não quero fazer maldades, só quero voltar para casa. – disse Madalena indignada.

– Ah, não quer fazer maldades? Guardas, guardas! Levem-na para a torre e fiquem de guarda.

E lá se foi Madalena pelos gigantes arrastada. E ficou lá, trancada, sozinha, triste e arrependida só pensava em voltar para casa da tia, mas sabia que nunca mais conseguiria.

Foi quando chegou o Ogro trazendo uma cesta cheinha de comidas: tinha doce, bala, salgadinho, bombom, pirulito e mais um monte de porcarias. A menina esqueceu da vida e já ia atacar quando ouviu uma vozinha que dizia:

– Não! Não como isso. As bruxas vão te engordar pra você virar jantar.

– Quem é você? Cadê?

– Aqui, aqui em cima, eu sou uma fadinha e vim pra te ajudar. Eu sei o que fazer para uma menina você voltar a ser e assim conseguir escapar.

– O que é? O que é? Me diga, eu faço qualquer coisa!

– Eu vou trazer para você, todos os dias, comida boa e saudável. Você vai comer todinha para voltar a ser uma menina.

E assim, no primeiro dia, a fadinha trouxe uma bandeija com caldo de abobrinha, um cacho de uvas e um pedaço de melancia. Madalena torceu o nariz, mas comeu tudo, pois queria muito voltar a ser menina… e não é que ela achou tudo a maior delícia? A uva era tão docinha, a melancia tão refrescante e o caldo de abobrinha, bem quentinho, era alucinante.

No segundo dia a fadinha trouxe arroz integral com abóbora e uma laranja Bahia.

A menina fez careta, mas mais uma vez comeu tudo, pois estava decidida. E não é que mais uma vez estava tudo uma delícia?

Quando foi no terceiro dia a menina já esperava animada a chegada da fada, imaginando o gosto gostoso das comidas que ela traria.

E assim foi dia a dia, até passar uma semana inteirinha. Foi no fim desta semana que o guarda veio trazer mais uma cesta cheia de porcarias, mas quando viu Madalena saiu gritando na maior correria.

– Socorro! Socorro! Tem uma menina humana no calabouço.

Foi aí que Madalena percebeu que o feitiço havia se revertido e cheia de nova esperança resolveu enfrentar de frente o perigo. Abriu sozinha a porta da cela, levando junto com ela uma bandeja de amoras que era a última que a fadinha havia trazido.

É que as bruxas morrem de medo de comidas saudáveis, e vendo a menina armada com amoras saíram correndo e gritando na mesma hora.

E foi assim que a menina conseguiu escapar do castelo, atravessou a floresta escura (mas essa história eu vou deixar para outra aventura), e chegou na casa da tia, onde levou uma baita dura.

Estavam todos preocupados, pois ela sumira uma semana inteirinha. Até a polícia já tinha desistido de encontrar a menina. Mas daquele dia em diante nunca mais deu trabalho com a comida, comia de um tudo, cresceu saudável e cheia de vida.

FIM

………………………………………………………………………………….

Para ver mais contos desse jardim clique no menu  (são esses risquinhos mesmo no alto da página, canto direito).

Entre em contato pelo telefone ou whats: 8821-0113 ou 88664004 (Taina Andere)

Encante suas festas com os contos e as brincadeiras do Jardim de Histórias, leve nossas contações de história para a sua escola!!!