Deus e a Natureza

Este texto foi feito sob encomenda para uma amiga e colega lá do PP que comanda um grupo de encontro da igreja que ela frequenta, será apresentado para o grupo neste sábado (05/03/16)… e eu com aquele friozinho na barriga por mais uma vez me aventurar por terras desconhecidas… mas lá vamos nós! Que esta história possa ser uma semente cheia de força pra florescer…

………………………………………………………………………………………………………..

A vida nos dá poucas certezas, uma delas é que o espelho de Deus está na natureza.

Quanta vida e diversidade, mostram a face divina e toda sua complexidade.

Mas parece que em meio a tanta beleza não percebemos a grandeza e a delicadeza, não prestamos a atenção que deveríamos quando o assunto é natureza.

Deus criou o mundo em sete dias, e fez nele inúmeras maravilhas, tudo conectado em plena harmonia. Por último criou o homem para cuidar de toda essa criação. A “palavra” nos diz de forma clara, que Deus deu os frutos da terra para nossa alimentação. Mas a nossa perdição foi colocar nossa ambição acima da preservação.

Derrubamos árvores milenares, e aos milhares. Enchemos a terra de veneno para que ela produza mais, e do nosso jeito, apenas com monocultura, sem a diversidade, porque assim rende mais dinheiro.

Destruímos hectares de florestas, todos os dias, para plantar soja para alimentar o gado que vai morrer em agonia.

Mas e quem vive e trabalha na cidade não tem nada com isso, não é verdade?

Seria, se não fosse o nosso consumo que definisse a produção.

Ou seja, toda vez que compramos, seja lá o que for, devemos pensar na nossa responsabilidade de preservar a obra do Nosso Senhor.

Para isso temos quatro “erres” que precisamos respeitar: reduzir, repensar, reutilizar e, por fim, reciclar.

Hoje em dia falamos muito da reciclagem, é verdade, mas ela, sozinha, é apenas uma maquiagem.

Precisamos primeiro reduzir o consumo, comprar apenas o que for preciso e com o mínimo possível de embalagens. Temos que lembrar que aquilo que quebra nós podemos consertar antes de simplesmente trocar por um novo porque é quase o mesmo preço…. conservar a natureza é mais importante que status e tem que valer mais que o nosso dinheiro.

Depois de reduzir é preciso repensar esse consumo. De onde vem o que eu uso? Devemos dar preferência às cooperativas e ao pequeno produtor, ao mini-mercado ou às lojas do bairro. Depois valorizar as empresas que têm responsabilidade sócio-ambiental, os produtos artesanais e, quando precisar do industrial, a indústria local, pois isso também reduz o impacto ambiental.

Depois de reduzir vem o reutilizar, tudo que ao invés de jogar fora, você puder reaproveitar  acaba gerando um impacto duplamente positivo, pois é um lixo a menos que você vai gerar e uma coisa a menos pra comprar. Por isso um pote de plástico pintado pode virar um belo suporte de vaso, assim o plástico não será mais um lixo jogado e um novo suporte não precisará ser comprado e nem fabricado.

Por último vem a reciclagem, separar o lixo de forma alguma é bobagem. Melhor ainda se pudermos, com o orgânico, fazer a compostagem. E quanto aos recicláveis… cada pedaço de plástico que é reciclado significa um pouco menos de petróleo sendo retirado. Menos recursos naturais sendo utilizados.

E por falar em plásticos e recicláveis, falemos nos copinhos descartáveis. Lavar um copo de metal ou de vidro dá trabalho, eu não duvido. Mas pensemos no trabalho divino de pegar toda matéria morta, formada por árvores e animais soterrados e, depois de milhares de anos, transformá-la nesse líquido oleoso tão valioso, que de ouro negro é chamado. Mas tudo que Deus fez na terra tem um “porquê”, um motivo, e no caso do petróleo foi para que boa parte do gás carbônico que pela morte é liberado pudesse no solo ficar contido, capturado, para manter o meio ambiente um lugar equilibrado, com o oxigênio necessário.

Mas aí lá vamos nós, extraindo petróleo à revelia, usando copo de plástico por comodidade ou preguiça, e ainda quando vamos ao mercado voltamos cheios de sacolinhas…

E lá se vai pelo ralo todo o carbono sequestrado…

Por isso eu não me engano, faz parte de louvar à Deus dizer não aos descartáveis e, quando for ao mercado, levar sacola de pano.

Perdão por tomar seu tempo, mas é que há tanto pra falar, o mundo está a beira de um colapso ambiental e as pessoas continuam agindo como se estivesse tudo normal. E é mesmo muito triste ver o mundo ser destruído pelo homens antes mesmo do apocalipse…

Nos últimos 50 anos acabamos com mais da metade de toda a vida dos oceanos.

Por isso ainda há muito para fazer antes de entrarmos no Seu plano… temos que trocar o carro por ônibus ou bicicleta, comer menos carne ou ser vegetariano, respeitar o próximo, mesmo que ele não seja humano.

E por isso vim aqui, não pedir, mas implorar, para que possamos  à Deus louvar trabalhando juntos para a sua obra preservar.

FIM

………………………………………………………………………………….

Para ver mais contos desse jardim clique no menu  (são esses risquinhos mesmo no alto da página, canto direito).

Entre em contato pelo telefone ou whats: 8821-0113 ou 88664004 (Taina Andere)

Encante suas festas com os contos e as brincadeiras do Jardim de Histórias, leve nossas contações de história para a sua escola!!!